sexta-feira, 4 de junho de 2010

ROTINA

"Estou cansada de trabalhar e ver todos os dias as mesmas pessoas no caminho; passar horas trabalhando, chegar em casa e meu marido sempre do mesmo jeito, com a mesma indisposição, a mesma comida para o jantar. Entro no banho e logo ele começa a reclamar, quero descansar e assistir minha novela, mas meus filhos não me deixam, porque querem brincar comigo, conversar, não entendem que estou cansada. Meus pais também me irritam algumas vezes. Trabalho, marido, filhos, pais e cuidar da casa, eles me deixam louca... "Quero Paz". A única coisa boa é dormir; ao fechar os olhos sinto um grande alívio, me esqueço de tudo e de todos...
- Olá vim te ajudar
- Quem é você? Como entrou aqui?
- Sou um servo de Deus. Ele disse que ouviu suas queixas e que você tem razão.
- Isto não é possível, para isto eu teria que estar mo...
- Isto mesmo, você está! Agora não se preocupará mais em ver sempre as mesmas pessoas, nem por aguentar o seu marido com suas reclamações e sua indisposição, nem seus filhos que te irritam, nem escutará os conselhos de seus pais, e não terás mais qualquer casa para cuidar. - Mas...que acontecerá com todos??? Com meu trabalho??? Com minha casa????
- Não se preocupe, no seu trabalho já contrataram outra pessoa para o seu lugar, e ela certamente está muito feliz porque estava sem trabalho.
- E meu marido, meus filhos???
- Ao seu marido foi dado uma boa mulher, que o quer muito bem, o respeita e o admira por suas qualidades, aceita gostos, defeitos e todas as suas reclamações. Além disso, ela se preocupa com seus filhos como se fossem filhos dela, de certo tem uma emoção muito grande já que é estéril. Por mais cansada que chegue do trabalho, dedica tempo a brincar com eles e agradar seu marido. Todos estão muito felizes.
- Mas, não quero isto!
- Sinto muito, a decisão foi tomada.
- Mas isto significa que jamais voltarei a beijar o rostinho dos meus filhos, nem dizer "eu te amo" ao meu marido, e mostrar a eles o quanto são importantes na minha vida, nem dar um abraço nos meus pais.
- Não... não quero morrer, quero viver, envelhecer junto ao meu marido, fazer a viagem que a muito planejamos, colocar aquela roupa que comprei a mais de um ano, levar meus filhos ao passeio que sempre prometo, não quero morrer ainda...
- Mas era o que você queria: descansar. Agora já tem seu descanso eterno, durma para sempre.
- Não, não quero, por favor, Deeeuuuuss...!
- Que aconteceu amor...? Teve um pesadelo? Disse meu marido me acordando com paciência e carinhosamente.
- Sim, um pesadelo horriv.... -- parei a frase ao meio, olhei em seu rosto, o seu semblante preocupado comigo, ali do meu lado, e então, sorrindo continuei -- Não meu amor, não tive pesadelo nenhum, tive um encontro com Deus, que nos ama, e que acaba de me dar uma nova oportunidade."

2 comentários:

  1. Rita de Cássia Lourençato10 de junho de 2010 09:47

    Que pena, pensei que esse artigo iria "colaborar" para que todos os membros de uma família demonstrassem através da ajuda nas tarefas diárias do lar, o CARINHO, AMOR e RESPEITO, pela RAINHA DO LAR A UNICA ESCRAVA COM TITULO DE NOBREZA. Belas palavras não limpam casas, não lavam louças e roupas, não fazem tarefas nenhuma. Que pena!!!

    ResponderExcluir
  2. Amiga
    Esse artigo "colabora" sim, para darmos valor a vida, casa e familia.
    Mesmo que não entendeu o recado, respeito.

    ResponderExcluir